Na pòla ou a velas vir

É o palpite que fica após olhar para as respostas mecánicas em falência para as questões novas. Quem não sabe, quem não ve,  quem não fala é caçado coma um parviolo no seu ninho. A carvalheira fica cheia de cadáveres. Os gatões lustram o ventre ao sol com tanta fartura. Desde a febleza da pòla de uma bidueira olho cara arriba.

Comments are closed.

Staypressed theme by Themocracy