NO-DO

En un domingo apacible en el que la única incidencia fue una fresca brisa polar, como corresponde a estas recias tierras del norte de España, se celebró la fiesta del cocido gallego en la simpática  villa pontevedresa de Lalín.

La jornada comenzaba con una visita al nuevo consistorio, donde el regidor ofició de cicerone ante autoridades y parte de los más de cien miembros de la Encomienda del Cocido. Después, y como mandan los cánones, imposición de capa -diseño del modisto Florentino- a los ocho nuevos comendadores: el escritor pontevedrés Xosé Neira Vilas; la sobrina de los Reyes María Zurita Borbón; la periodista, y pregonera, Mariló Montero; el empresario Fernández Tapias; el pediatra Ángel Suárez; la diseñadora Ángeles Guerra; el director de la Casa de Galicia en Madrid, José Ramón Ónega y el oncólogo José Manuel Pérez.

Con todo la estrella de la fiesta fue el conocido empresario y presidente del Real Madrid, don Florentino Pérez, que aprovechando la visita que su equipo realizó a la ciudad de La Coruña, no quiso perderse esta singular fiesta. También asistieron las autoridades locales y la máxima representación del Estado en la comunidad gallega: el presidente regional.

La comitiva, ya con las capas al viento, arrancaba en paseíllo triunfal y escoltados por la Banda de Gaitas de la Diputación hacia la feria, donde Feijóo, siempre con la pregonera y el alcalde, se detenía en varios puestos de ingredientes para cocido ubicados en el trayecto. “Pois levar non levaron nada, pero me preguntaron si os lacóns eran do país”, apuntaba uno de los dependientes de embutidos Nélida Castro tras atender al trío de honor, hablándonos en su cordial dialecto.

No faltaron a la cita  las comparsas oficiales que, con sus vistosos atuendos inspirados en los carnavales de las españolas Islas Canarias, desfilaron ante las autoridades. Tampoco dejaron de asistir gaiteros venidos de diversas aldeas para entonar  sus autóctonas melodias ancestrales.

Fue así como una vez más pudimos disfrutar de las singularidades y idiosincrasias de estas tierras entrañables y ahora les podemos mostrar la grandeza de las tierras y pueblos de España.

Nota: gran parte de este texto foi publicado nesta crónica de El Correo Gallego e é reponsabilidade e orgullo do seu autor. Eu apenas o reproduzo coa intencionalidade de ensalzar e encumbrar, así como de disimular amiña incompentencia en lengua. É o malo que ten falar dialecto.

Ja andam a enlear

Pase que desaparezam dous ou tres do nossos cabrões. Se não é para agora será para seis meses o que tardemos em pór aos nossos novos cabrões no lugar. Mas o Gadaffi é um nosso cabrão incómodo e para máis ha velhas contas que saldar com ele.

Também quem anda sempre a ver se tira proveito de qualquer incidente aviva o lume.

E o seu petróleo e o seu gas são o nosso petróleo e o nosso gas. Daquela, por que não ir lá á procura de armas de destrução maçiza

Carvão Cabrão

Crianças, fume tóxico, lume, escravitude, miseria, morte são os componhentes das fotografías de Kevin Frayer para The Sacramento Bee

Desse modo tiram o carvão que remata em quem sabe onde. O carvão cabrão sim, mas é o nosso cabrão

País bipolar

O governo anuncia que vai recortar a renovação do profesorado a un 30%. Peor ratio=peor educação. Tanto tem, não precisamos educar á carne para o picadinho  da dominação que vem… ja temos cidade da cultura!. Isso sim, os sindicatos do gremio atingido han fazer as correspondentes processões e rogativas.

Mentres, a Galiza X&%$”? anda moi atarefada machucando a uma pobre parvinha e promocionando um imoral concurso fascista, intrinsecamente fascista,  de uma canle de TV berlusconiana. Ao tempo reclama que os nossos exploradores sejam os nossos filhos de puta. Éche o que há.

Aínda bom é que há quem comprende e explica perfectamente o que somos.

Looking for Isaac

Andam alporiçados moitos, por interesse político e pessoal, por causa de o senhor Isaac Díaz Pardo ter chegado a acordo co drunkman para deixar suas cousinhas para a cidade da cultura. Se governaram outros ja não habería problema, pero…

Por min don Isaac pode fazer com suas cousinhas o que lhe tire do nabo, como cada filho de vecinho, e se resulta que suas cousinhas são patrimonio nacional, pois que melhor lugar que o mausoleo nacional?. Melhor que em uma fundação privada, não é? Ou é que agora vão ter problemas coa CdC os que tirarom dela para adiante? Os que poderíam ter feito o máis sensato e figerom o mesmo que os anteriores e os posteriores?

O que há no nosso país é moita ganha de enredar e pouca de trabalhar, como leva trabalhado Isaac. Ti dálhe para adiante e, se vas gagá, bem mereces um respeito de lobo.

Solidariedade cos políticos honestos

Após ver como um jornal desprezável, que não faz mais que desvendar as feridas dos políticos mais virtuosos, é qualificado pólo exemplar político que assume graves riscos  pólo bem dá cidadanía de sua província como um jornal que não se ajusta á realidade, desde o FOP não podemos menos que chamar á toda a cidadanía galega, espanhola e universal a defender aos nossos políticos: gente honesta, leal, sacrificada, trabalhadora e incorruptivel.

Para iso, em apoio ao insigne prócer, reclamamos  ja, que se efectuem severos controis sobre o que se pode o não se pode informar. A imprensa e as rádios podem tomar o exemplo da TVG para saber em tudo momento o que se pode o não se pode dizer. Este control debe estar apoiado por fortes sanções para quem fale, escribe ou pense o que não deve ser informado e mesmo as autoridades deberam ordenar o peche preventivo dos midia, quando fose preciso.

Tambén debem passar controis as produções audiovisuais, os textos teatrais e literários e qualquer conferência ou homilia. As forças de seguridade do estado debem velar para que isto seja cumprido. Os infractores debem ser castigados com fortes penas de prisão.

Basta ja! Solidariedade cos políticos honestos!

Juntos mais fortes

Era uma cantilena do Juan Pardo coa que nos abrasabam há anos os altofalantes dos carros electorais do PP fraguiano.

Hoje é a palavra de ordem: temos de remar juntos para seremos mais fortes e sair da crise.

Podem mirar aquí como os nossos esforços logram recompensa

Intolerável agressão imperialista

A Força Aerea dos EUA vem de advertir que aceder á informação disponibilizada por wikileaks é um ato de espionagem.  A “razão” é que o material de dominio público en wikileaks é classificado como secreto e que a parte contratante da primeira parte é público a parte contratante da primeira parte da parte contratante é secreta e como não foi desclassificada como secreta pela primeira parte, pois isso: que vocé pode ser punido por espião.

Se quadra lho exprimem melhor aquí

Desde este blogue protestamos energicamente contra esta intolarável agressão das forças armadas do imperialismo. Essa lucidez é nossa. Os galegos somos os únicos habitantes do planeta que podemos razoar assim: Não ao imperialismo! Não a ingerência imbecil! A inteligencia é nossa e não da Força!

A ligação da ilustração não tem preço para os amantes do bizarro.

Sempre na vanguarda: o nosso niilismo é arte

Na Galiza somos desse jeito: gostamos de causar admiração em as incrédulas mentes dos humanos que nom tenhem o privilegio de serem galegos. Para isso somos quem de erguer potentes focos de atenção mundial, dos que são cabeçalho de capa de tudas as publicações do orbe tudo.

Construímos espantosos monumentos únicos no mundo cos cartos que damos aforrado en educação, sanidade e servizos sociais e, ja feitos os deijamos vazios,  sem coisa nenhuma dentro, em um prodigioso alarde de inteligencia, algo que só pode dar de seu uma pessoa impregnada coa faísca da vida.

Pode haber coisa máis marabilhosa? Na Galiza, sim. Seguiremos a informar

A derradeira lecção de Lavoisier

Não vou descobrir agora quem foi o pai da química moderna como ciencia. Com ele também estavam no mundo paraquímicos, alquímicos, homeópatas e magufos variados, mas esses não eram ciencia.

O que me chamou a atenção foi o facto do processo judiciário e morte do homem. Uma outra mostra de como existem imbéciles no campo revolucionário cos mesmos sintomas que tenhem os imbéciles reaccionários tam conhecidos nossos: mesianicos, irracionais, categóricos, autoinvestidos.

O preocupante é que os imbéciles tendem para o governar tudo. O que é isto? Que aos fraternais, racionais, escépticos, racionalistas e humildes nos cortem a cabeça!. Ía colar uma série de fotos de imbéciles, mas acho que não estou para brincos.

Staypressed theme by Themocracy