Cando os fascistas sofrem

Os demócratas respiram.

Carrero voou

Cesta de natal

Andam os midia de direita moi excitados porque a Diputación de Toledo (Espanha) gasta fundos públicos em agasalhar aos seus empregados (dizem eles) ou aos gobernantes e amigos (dizem os outros).

O caso é que quem máis berra são os midia direitosos, acho que será por ser diputação do PsoE e os da esquerda ficam caladinhos.

É uma fotografía do tempo que toca:   misturem “espanha”, “político”, “miseria”, “paro”, “prensa” e “cesta de natal”…

Só nos falta que agora salte Baltar a dizer: As miñas son máis grandes!

Korea

“O nível de competitivade é altísimo, como o nível de disciplina e respeito pela autoridade dos professores……a aceitação da autoridade, das normas, a submissão ao ordem social e  supeditação da individualidade  ao conjunto são muito altas…Como contrapunto, assinalar o alto nível de estrés da vida escolar que chega a derivar numa alta percentagem de suicídios por não ter obtido uns resultados suficientes em primaria, secundária e bacharelato. Alguns professores questionam o sistema baseado na memorização,  a aprendizagem orientada aos factos,  a proposta autoritaria do ensino e a  falta de importância da criatividade.»

Do informe PISA sobre Korea. Do sul.

Manifesto por uma Rede Neutra

Os cidadãos e as empresas utentes de Internet aderidas a este texto MANIFESTAMOS:

1. Que Internet é uma Rede Neutra por desenho, desde sua criação até seu actual implementación, na que a informação flui de maneira livre, sem discriminação alguma em função de origem, destino, protocolo ou conteúdo.
2. Que as empresas, emprendedores e utentes de Internet puderam criar serviços e produtos nessa Rede Neutra sem necessidade de autorizações nem acordos prévios, dando lugar a uma barreira primeiramente praticamente inexistente que permitiu a explosão criativa, de inovação e de serviços que define o estado da rede actual.
3. Que todos os utentes, emprendedores e empresas de Internet puderam definir e oferecer seus serviços em condições de igualdade levando o conceito da livre concorrência até extremos nunca dantes conhecidos.
4. Que Internet é o veículo de livre expressão, livre informação e desenvolvimento social mais importante com o que contam cidadãos e empresas. Sua natureza não deve ser posta em risco baixo nenhum conceito.
5. Que para possibilitar essa Rede Neutra as operadoras devem transportar pacotes de dados de maneira neutra sem erigirse em ?aduaneiros? do tráfico e sem favorecer ou prejudicar a uns conteúdos acima de outros.
6. Que a gestão do tráfico em situações pontuas e excepcionais de saturación das redes deve se acometer de forma transparente, de acordo a critérios homogéneos de interesse público e não discriminatorios nem comerciais.
7. Que dita restrição excepcional do tráfico por parte das operadoras não pode se converter numa alternativa sustentada ao investimento em redes.
8. Que dita Rede Neutra se vê ameaçada por operadoras interessadas em chegar a acordos comerciais pelos que se privilegie ou degrade o conteúdo segundo sua relação comercial com a operadora.
9. Que alguns operadores do mercado querem ?redefinir? a Rede Neutra para manejá-la de acordo com seus interesses, e essa pretensão deve ser evitada; a definição das regras fundamentais do funcionamento de Internet deve basear-se no interesse de quem usam-na, não de quem a proveen.
10. Que a resposta ante esta ameaça para a rede não pode ser a inacción: não fazer nada equivale a permitir que interesses privados possam de facto levar a cabo práticas que afectam às liberdades fundamentais dos cidadãos e a capacidade das empresas para competir em igualdade de condições.
11. Que é preciso e urgente instar ao Governo a proteger de maneira clara e inequívoca a Rede Neutra, com o fim de proteger o valor de Internet de cara ao desenvolvimento de uma economia mais productiva, moderna, eficiente e livre de injerencias e intromisiones indebidas. Para isso é preciso que qualquer moção que se aprove vincule de maneira indisoluble a definição de Rede Neutra no conteúdo da futura lei que se promove, e não condicione sua aplicação a questões que pouco têm que ver com esta.

A Rede Neutra é um conceito claro e definido no âmbito académico, onde não suscita debate: os cidadãos e as empresas têm direito a que o tráfico de dados recebido ou gerado não seja manipulado, tergiversado, impedido, desviado, priorizado ou atrasado em função do tipo de conteúdo, do protocolo ou aplicação utilizado, da origem ou destino da comunicação nem de qualquer outra consideração alheia à de sua própria vontade. Esse tráfico tratar-se-á como uma comunicação privada e exclusivamente baixo mandato judicial poderá ser espiado, traçado, archivado ou analisado em seu conteúdo, como correspondência privada que é em realidade.

Europa, e Espanha em particular, encontram-se no meio de uma crise económica tão importante que obrigará à mudança radical de seu modelo productivo, e a um melhor aprovechamiento da criatividade de seus cidadãos. A Rede Neutra é crucial à hora de preservar um ecosistema que favoreça a concorrência e inovação para a criação dos inumeráveis produtos e serviços que ficam por inventar e descobrir. A capacidade de trabalhar em rede, de maneira colaborativa, e em mercados conectados, afectará a todos os sectores e todas as empresas de nosso país, o que converte a Internet num factor finque actual e futuro em nosso desenvolvimento económico e social, determinando em grande parte o nível de competitividad do país. Daí nossa profunda preocupação pela preservación da Rede Neutra. Por isso instamos com urgência ao Governo espanhol a ser proactivo no contexto europeu e a legislar de maneira clara e inequívoca nesse sentido.

Staypressed theme by Themocracy